cu-ra-re*

Não contente em encoxá-lo entre as prateleiras 821.162.3, queria mesmo colocar o malho dele na mão. Algures, camuflados pelas estantes, conseguiram trocar beijos de língua. Ela gostava da audiência alheia à suas investidas discretas. Conseguiam sussurrar indecências quando se encontravam nos corredores. Ele atendia suas vontades e apertava sua carne, beliscando onde fosse possível o contato. Ela por fim deixou de vestir calcinhas quando ia à biblioteca, permitindo que ele olhasse por baixo da mesa, enquanto se debruçava sobre os livros, fazendo cara de culta. Tentou, atentou e realmente tirou o sisudo do sério, ele não mais conseguia conter o volume quando ela abria as pernas. Difícil saber qual dos dois era mais publicamente circunspecto ou tinha a mente mais lasciva. Por ela o coito nem seria necessário – satisfazia-se com agonia deixada nele e divertia-se com a impossibilidade do ato. Ele não concordaria por muito tempo a vir-se no vazio. Logo forjou uma folga e a surpreendeu na saída, mas acabou surpreso quando horizontalizaram os corpos. Ela, contabilizando os indícios, constatou mais uma vez que não se deve bulir com quem está quieto e aparenta ser sério. Sabia por si – não à toa as fortalezas são muralhas. Nem por isso abandonará o hábito de passar as tardes na mesma mesa de leitura diante do acervo de responsabilidade dele.

* veneno de ação paralisante, potencialmente letal, extraído de cipós, e que é usado pelos índios para envenenar a ponta de suas flechas.

9 comentários:

Fabio disse...

"I'd like to put you in a trance".
Madonna

Que estilo é este?
Um misto de Nelson Rodrigues, Hilda Hilst, Sade, Catulo e o artigo 213 do Código Penal, "in litteris": "Constranger mulher à conjunção carnal, mediante violência ou grave ameaça". Se bem que no conto, ele era o constrangido, o provocado, enquanto ela "...debruçada sobre os livros, fazia cara de puta". (Desculpe-me, mas não contive em fazer a alteração).Você escreve usando umas palavras que eu nunca li e faz com que eu goste de um enredo que, ao ser lido, cresce, avoluma-se e depois torna-se puro gozo, literário claro! É o que eu sinto e acho que não precisa mais!
P.S. Que biblioteca a moça freqüenta mesmo?

Sentir disse...

Fábio
Estilo verborrágico. O artigo tá mais pra 171 do penal. E nada de constrangimento, quando um não quer, dois não brincam.
Uma puta culta? Eu não disse isso! “Deixa a pomba voar”.

p.s: são as vibrações do Iron.

Bjok.

Fabio disse...

...tá bom, mas ficou faltando o endereço onde a moça feqüenta, além do mais, eu adoro bibliotecas!

Lord of Erewhon disse...

Você pediu para te adicionar como amiga no Lastfm.com, mas eu já nem sei a password de lá - só fiz aquilo para corrigir o latim de um gajo que por lá anda.

Esse blog não conhecia... :)

Dark kiss.

Lord of Erewhon disse...

LOL!!

Já tou meio dormindo - só agora percebi quem és!

Sentir disse...

Fáaaaaaaaaabio
lamento, a tal, agora tem sua própria biblioteca e bibliotecário tbm. ;)



Lord
Eras o único conhecido por lá, percebi que não havia movimentação na conta.

Ah é?! Nada como uma roupa nova, hein!? lolol

LB disse...

Potencialmente letal, mesmo!

Beijinho

Fabio disse...

Tá certo, comer em casa é bem mais confortável!

Sentir disse...

LB;
é exatamente isso! O segredo está nos detalhes. Bjok.



Fábio
luvinha de pelica... será que é influência do cubano que te apresentei? Bjos.