A vida em títulos

Os estados febris sempre neutralizam minha percepção do mundo. Digo a minha do mundo. Mas, amplia a visão que as pessoas têm sobre mim, digo, eu observo melhor como os outros me vêem. É complexo isso, mas é como se eu me visse pelos outros. Como se minha capacidade de analisar a opinião alheia a meu respeito, ficasse mais nítida mas isenta da minha ótica. Uma coisa é certa, por mais que seja a mesma, ninguém me vê de forma igual. Não que exista um esforço para ser, ou parecer. Sendo a mesma pessoa, sou alguém diferente para cada observador. Cercada dos mesmos rótulos, sempre com as mesmas bandeiras hasteadas, as camisas vestidas de todo dia, punho cerrados ou não, escritos na testa que explicitam características óbvias e todos os esforços para criar minha identidade, forjar eu mesma, são tentativas infelizes de ser alguém igual para todo mundo. Isso não existe. Todo o teu conteúdo para um, é um completo vazio para outro. Onde um vê poesia outro entende depressão. O que aquele te imagina de grande, pra este é miudeza. Enquanto um critica tua frieza o outro elogia tua doçura. Por mais que passe os meus toscos dias comprometidos apenas com fatos cotidianos, despreocupada como meu porvir, mas consciente do meu agir, sempre haverão os que me julguem indiferente e os que me achem demasiado envolvida. Isso é viver.

8 comentários:

Alien David Sousa disse...

Querida sentir, tens razão quando dizes que nem todos te vêem da mesma forma. O mesmo se passa comigo, com o meu vizinho do lado, ou com a porteira.
É uma realidade, o olhar da porteira perante mim, não é o mesmo que o do vizinho ou amigo e, mesmo no grupo de amigos, uns vêem sempre algo que os outros não alcançam. Mas, agora, deixa-me que te coloque uma questão:
Achas que nós somos sempre os mesmos para todos aqueles com quem nos cruzamos e não me refiro a estranhos. Vamos falar do nosso círculo de amizades por exemplo, tu és sempre a mesma para todos os teus amigos? A realidade é que mudamos consoante as pessoas com quem estamos. Não quero dizer com isto que mudemos de personalidade ou que passemos a partilhar opiniões que não são as nossas apenas por estarmos com determinada pessoa,não é isso. Acredito sim, que nós mudamos consoante a pessoa que temos à nossa frente, damos a essa pessoa algo que não iremos dar se estivermos perante outra. Assim, é normal que a percepção que os outros tenham de nós seja muitas vezes complicada de entender.
Perante determinado amigo eu posso ser mais reveladora, mas meiga. Perante outro eu posso ser mais reservada não escondendo por completo o meu lado emocional e por aí a fora.

Isto tudo para dizer que existem aqui dois factores que andam à luta; nós mudamos consonante as pessoas com quem estamos e consequentemente a percepção que elas têm de nós muitas vezes não corresponde à realidade devido a essa mesma mudança.

Como lidar com isto? Não acredito que exista uma fórmula, acredito sim que as relações se dão desta forma e nada podemos fazer para alterar esta dinâmica.

Não sei se o que te queria dizer foi feito da forma mais clara, mas tentei! ;)

Para finalizar quero deixar-te um grande beijinho e uma Páscoa Feliz, adoro-te minha brazuca meditativa ;)

Sentir disse...

Alien, uma páscoa de paz e muito chocolate.

...então, entre as vantagens de ser humano existe a tal capacidade de camuflagem.

Sim, captei teus sinais - nos mínimos detalhes.

Garanto que agora, trancadinha em casa sou mais eu do que nunca, um tanto mais simpática do que a que vai ao trabalho, muito mais calma do que a que frequenta a faculdade. Como a febre passou percebo que não sou só uma, e que o contexto compõe as máscaras, mas, elas acabam caindo... aí é outro post.

Meditativa ando, é verdade. Cada dia mais perdida no mundo de fora e no de dentro.

Bjos além mar, querida.

Magazine ÓPe disse...

Passando pra agradecer o comentário e visita ao meu blog!
Você é sempre bem-vinda pora lá.

Bjss

Sentir disse...

Oi Mike,

vira e mexe passo no seu opé.

gosto da concretura da tua poesia.


volta mais, bjo.

lgbolhares disse...

"Brazuca meditativa", disse Alien... E não é que foi mais ou menos isso que me veio à cabeça ao ler este post?
Abençoada febre...! :)

Beijinho brazuca

lgbolhares disse...

"Brazuca meditativa", disse Alien... E não é que foi mais ou menos isso que me veio à cabeça ao ler este post?
Abençoada febre...! :)

Beijinho brazuca

Alien David Sousa disse...

"...então, entre as vantagens de ser humano existe a tal capacidade de camuflagem."

Nem mais! ;)

"Como a febre passou percebo que não sou só uma, e que o contexto compõe as máscaras, mas, elas acabam caindo... aí é outro post."

Colocar máscaras é mesmo para outro "Post" linda lol Fico à espera. Eu escrevi um sobre os seres que usam máscaras porque uma coisa é revelarmos um lado nosso a determinado amigo e revelarmos outra faceta a outro, agora colocarmos máscaras consoante a situação e a pessoa é algo completamente difente e que abomino.

Ainda bem que já estás melhor :))
Um beijinho grande linda
p.s o nick brazuca pegou ;)olha que é um nick carinhoso...

Sentir disse...

LB
Uma febre necessária. Meditativa... alguém precisa ser.
(mesmo que seja no besteirol)

;)


Alien
Então já pegou, eu toda prosa no meio dos tugas. Quem sabe meu sentir não esteja com os dias contados?

;)