sem prosa

Nenhum de nós tem nome ou existência plausível. Se pudéssemos ser ruidosos ao ponto de nos imaginarmos rindo, riríamos sem dúvida de nos imaginarmos vivos. O frescor aquecido dos lenços acaricia-nos (a ti como a mim decerto) os pés que se sentem, um ao outro nus.

Fernando Pessoa; NA FLORESTA DO ALHEAMENTO (POEMAS DRAMÁTICOS )

2 comentários:

As Sombras de Fim do Dia disse...

Lamento se sou lamechas, mas quando os meus pés encontram o seu par debaixo dos lençois, eu sinto-me!

Sentir disse...

Sombras; isso sim é sentir. :D.