Diálogos perecíveis

- como assim o teu amor acabou?
- Ah! Sei lá... Acabando.
- Isso não é resposta. Mulheres como você, não esquecem fácil.
- Quem te disse que foi fácil?
- Você ta querendo me enrolar com essa.
- Meu querido, coloque uma coisa na sua cabeça. Após 695 dias, tantas linhas, filmes, fotografias, sonetos, canções, sabores, azedumes e principalmente mal entendidos, hoje, diante da tua pergunta eu tenho plena certeza: A-c-a-b-o-u--s-e-!
- Mas você é ainda tão dedicada, tão cheia de carinhos, tão presente. Nunca deixa de me procurar?
- Sou assim como toda a gente. Preservo as relações.
- Tudo que fazes pra mim, fazes aos outros?
- Acho que sim. No começo tu eras um desconhecido também, tornou-se amigo aos poucos, ora bolas!
- Ainda acho que estás fingindo, para que eu me tranqüilize com teus ciúmes e perseguições.
- Vejo que minha neurose agora é tua, só lamento.
- Eu gosto de você, não da forma que você queria. Odeio manifestações públicas de afeto, sabes que não sou de afetações tampouco de escândalos. Gosto de ti à minha maneira, gosto dos nossos momentos.
- Também gosto. Gostei de tudo. Eu sei que gostas de mim. Um pouco mais que a uma. Um tanto menos que outras, sei querido, sei. Guardarei com carinho a porção de tua atenção que era dedicada a mim. E tenho certeza do teu carinho, muito foi o tempo perdido nos nossos papos, com tantas coisas sérias a serem resolvidas na tua vida. Eu respeito a tua postura, apesar de não entender tua reserva, entende?
- Gosto de você. E nunca vou acreditar que você deixou de me amar, se continuar agindo assim e dizendo essas coisas. O que eu menos quis foi que você sofresse, mentindo pra me agradar. Não faça isso agora.
- Você sempre deu pouco crédito as coisas que eu dizia. Só acreditou que eu te amei, afinal me esforcei para que entendesse. Então agora acredite, acabou aquele desejo de te ouvir, de estar ao teu lado, ler teus livros, saber de ti. Não sei o que foi, só sei que foi.
- Oh! Minha menina, você quer enganar esse velho coração. Quer que eu me sinta livre, mas quer vigiar meus vôos... Eu acabo descobrindo que você anda me cercando, sua bobinha.
- Fique tranqüilo, há tempos que isso não ocorre.
- Eu nunca te enganei. Sempre te falei que não desejo me relacionar a sério. Casamento me dá arrepios.
- Sei de cor (sei-te de cor, sic). Agora eu sou quem não quer, veja só. Acabou, ponto final.
- Ta certo, acredito. È o fim. Você nunca mais vai procurar por mim? Não vai sentir minha falta?
- Querido, vou sentir. Especialmente a falta do teu sexo. Pensando bem, sempre gostei mais dele do que do resto. Do resto não, das outras coisas... sic.
- Ai ai ai... Só meu humor para engolir uma dessas. Depois de tantas juras tuas.
- Pense bem, era a única coisa real entre nós. Pelo menos é como vejo hoje. O problema é que as mulheres sempre confundem sexo com amor e literalmente se fodem.
- É esse lance de amor é foda. Por isso prefiro fode-lo, do que ele a mim.
- Acho deprimente tua necessidade de ter várias, para ser feliz. Nunca queria ter sabido disso. Não dá pra entender. Como se dividir um coração fosse resolver a carência ou o medo de sofrer por se entregar. Meu nobre, há meses percebia teus passeios, aceitei essa condição por amor. Mas isso foi borrando tua cor, apagando teu brilho. Enquanto eu não sabia estava bem. Dividir essa tua necessidade nunca foi sadio ao meu coração, ele fartou-se. Eu fadiguei-me.
- Então quer dizer que agora entre nós rolaria somente sexo? Sem acessos românticos, como eu sempre desejei?
- Acho que não, querido. Apesar de sim. Nossa essência é mortal. Não vou deixar de lembrar do teu corpo. Recomendo-te fazer o que tenho feito nos últimos tempos.
- Como assim?
- Passe a me usar como eu te uso – apenas mentalmente.
- Não entendi.
- Nem precisa.

5 comentários:

Alien David Sousa disse...

Adorei Sentir. Muito Bom. Entendi tudo mas acredito que ELE não tenha entendido NADA! lol
Beijinhos

Sentir disse...

Tomara! Alien. lol

Alien David Sousa disse...

Querida sentir, acabaste de ganhar um prémio. Não sei aonde vais colocar o certificado...mas passa pelo meu Blog.;)
Beijinhos

Rafael Amaral disse...

Belíssimo.
Uma leveza penetrante, na alma.

Que esse alguém vire outrém.

Beijo.

Sentir disse...

Já virou, Rafa. bjo.