Para celebrar a vida

Tony Gatlif - Transylvania, França, 2006.



O que o coração leva, a música devolve. As grandes empreitadas têm seu preço, a moeda do destino tem dois valores distintos. Solidão e liberdade dançam juntas, em linhas que alma cigana não consegue ler. A descrença ou a fé leva mais longe do que a vontade imagina.

Apesar do título o filme não não traz vampiros tampouco morcegos. Mostra uma surpreendente, mística e festiva gente. Não assisti Gadjo Dilo. Mas, acredito que tenha toda a beleza e musicalidade de Transylvania. Recomendo para quem busca ou já encontrou a felicidade. É um drama de profunda alegria.


"não se move uma montanha, por um pálido pedido de alguém que não se ama.
Todo ouro está contigo.
Para isso há muita chama no coração do bandido"/perdido.
Zeca Baleiro e Fausto Nilo


Com este post finalizo a série "palavras e silêncios". Prometo.

3 comentários:

LB disse...

E muito bem finalizada...!

Abraço

Alexandre o Grande disse...

A felicidade tem que se procurar constantemente, mesmo para quem pensa que já é feliz.

Beijos

Sentir disse...

LB, com direito a ponto final e tudo mais.

Ale, felicidade é um estado imaginário. Tal como a liberdade. Totalmente independente daquilo que chamam de amor e/ou de terceiros.
p.s.: novidade mesmo é teu papo sério. hehehe. ;)