UM OFF NO MUNDO ON

Alguém tentando pensar mais e escrever menos. Diante da crise de ser verborrágica e melancólica para a propaganda ou inculta para a literatura - escrevo mal minha própria língua e ninguém entende o que digo mesmo quando desenho.
Um semicírculo oco e tosco.
Alguém que não sabe a origem do próprio nome. Sem berço, sem lenço, sem parentes importantes, sem norte, retirante ruralista que não deu certo, sem grana, sem sorte no jogo tampouco amor.
Um palhaço triste cercado de poucos, mas, bons amigos.
A treva entre as estrelas.
Verdadeira até o tutano. Mas, chegada num drama - quando necessário, agora por exemplo.

3 comentários:

Espaço Feliz disse...

às vezes, não se sabe nem a origem do próprio sangue
nossa pele tem história, pré,presente e pós...a mim...interessa-me tds
principalmente akela q eu crio...o resto, curiosidade só.
Drama, o riso tem drama maior do que um momento nostálgico de choro de retrato de família.Drama é ver o que não se é.
Escrever é revelar-se pra si, msm se reinventando.
Ilusão múltipla de criação de fuga.
Espelho chato.
Espelho meu.
Tem como não ser on neste mundo?
Nem sendo off e sem sangue.
Gosto de suas palavras, processos, dramas e outras coisas +!!!
bEijossss

Alien David Sousa disse...

Uma coisa te digo; não escreves mal a tua própria língua. O resto não comento porque é um desabafo, agora este garanto, já li muito e de portugueses que assassinam a línguam portuguesa. Até eu! ;)

Beijinhos linda

Sentir disse...

Alien
Já me disseram ser um blog de lamentos públicos. Ou fui eu quem inventou isso? Humm... Você é um carinho, sempre responde com muitas palavrinhas deliciosas os meus gigantescos "ps". Obrigada, um elogio seu é um selo de garantia.

ps.: matei várias vezes tbm. :D