[des]encontros





..."os jovens apaixonados, abrem seus corações e seus corpos... Há poucos jovens apaixonados neste mundo. É quase possíveI contá-los. O amor os atinge como uma benção e um castigo. O resto de nós?! Nós invocamos o amor, gritamos por ele... imploramos, buscamos, tentamos imitá-lo... Achamos que o possuímos e contamos mentiras sobre ele. Mas nós não o temos. A nós foi negado o amor por amar. Não temos essa benção. Nem o castigo".





[sorrisos de uma noite de amor]
Ingmar Bergmam - Sommarnattens Leende, 1955.

3 comentários:

LB disse...

Não temos...?
Ou pensamos que não temos?

Beijinho

Alien David Sousa disse...

Querida sentir, eu diria que há muitos jovens apaixonados neste mundo mas poucos sabem o que é amar. São coisas totalmente diferentes. Apaixonam-se um dia e no outro essa paixão evaporou-se, para dar lugar a outra que vai surgir ao virar da esquina.

Os que procuram o verdadeiro amor, são aqueles que sabem esperar. Que sabem fazer a distinção entre atracão, paixão e amor. E que escolhem esperar por esse amor. Não digo que se tornam celibatários, nada disso. São aqueles que só entram numa relação quando sentem que é a sério. Enquanto essa pessoa especial não aparece não andam a saltar de relação em relação. Podem ter casos, sim podem. É saudável. Mas, não embarcam num namoro só porque não dá jeito estar sozinho.

Esperar e saber procurar. Acho que o segredo está aí.

Mas isto sou só eu, como sempre :D

Beijinhossssssss

Sentir disse...

LB;
[Só, pensamos].
"Não sabemos de nada",
seria o mais certo.
;)

Alien, querida;
nem tudo que faz bem é bom, tampouco tudo que é bom faz bem. Quisera eu, teu equilíbrio. Bjoka linda.