Vou tentar não dizer só o que eu quero, pois às vezes eu quero apenas aceitar a vida como ela é, e as pessoas como elas são. Se isso conta: como todo mundo, eu quero ser feliz também. Mas a vida é real e de viés, vê só que cilada o amor me armou: Eu te quero (e não queres) como sou. Não te quero (e não queres) como és. Por isso, agora, estou meio triste, o meu querer está longe de poder e o que eu quero está longe de mim. Fazê o quê? Sei que eu quero sempre mais e eu espero sempre mais de ti, do mundo e de mim. Então, se é o que me resta: eu quero. Eu quero imaginar uma lista infinita de coisas que alguns milhões na minha conta poupariam nosso tempo de relacionar e ler. Não! Não! De jeito em maneira não quero só dinheiro. Quero amor sincero, isso é que eu espero. Eu só quero amar. Eu quero o amor. Mas eu quero tudo diferente quando parecer igual. E quero tudo igual se ficar muito diferente. E, é claro também quero coisas simples: Quero ver o sol atrás do muro. Quero um refúgio que seja seguro. Uma nuvem branca sem pó, nem fumaça. Quero um mundo feito sem porta ou vidraça. Quero uma estrada que leve à verdade. Quero a floresta em lugar da cidade. Quero voar de mãos dadas. Aiiii eu quero poesia. Misturar música alheia com meus versos - como fiz agora - e quero que você adivinhe. Eu quero brincadeira. E também eu quero ver você sério. Eu quero ver você não chorar, não olhar para trás, nem se arrepender do que faz. Quero que você cresça. Independente do que aconteça eu não quero que você esqueça: eu gosto muito de você. Eu quero você como eu quero, bem. E eu quero mais. Huuuuuum! Tudo o que quero? Sério! Sério! É todo esse (seu) mistério! Mistério? Será mesmo isso que eu quero? Ah! Quer saber? Já estou melhor. E hoje eu quero sair só. Não demora eu tô de volta. Qualquer coisa vai ver se eu tô lá na esquina – já devo estar! Tchau!

atendendo ao convite do samurai MSM no seu PraOntem.

4 comentários:

Diu Mota disse...

Existem músicas que nos rouba a alma!

Fabio disse...

"...às vezes eu penso que sai dos teus olhos o feixe de raio que controla a onda cerebral do peixe".
Lindo Nara, esse texto só poderia ter saído de você, uma bela desova nessa profundeza azul que é seu blog!Ir fundo é para poucos, mas você consegue! Amo-te (pode falar isso aqui, senão puder censura!)

Iasnara disse...

Diu, sou uma desalmada. :*

Fabio, tá que tá hem?! Ó, tbm te amo, sem censura.
ps.: "Desova" - gostei.

∑S∑ disse...

AmO.

De alma, coração e dois dedos que me põem a operar a internet e o word.