E se um dia um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse:


" Esta vida, assim como a vives e sempre viveste,

terás de vivê-la ainda uma vez

e ainda inúmeras vezes,

não haverá nela nada de novo!

Cada dor,

cada pensamento,

tudo que há de pequeno em tua vida

há de retornar.

Tudo, na mesma ordem e sequência.

E, do mesmo modo, esse instante e eu próprio:

o demônio.

O eterno relógio da existência reiniciará outra vez

a contagem do teu tempo,

e do tempo das tuas desgraças".


Não te lançarias ao chão rangendo os dentes e amaldiçoando o demônio?
Não, não. Responderias medrosamente que nunca te disseram algo mais divino.
Diga, nunca te disseram algo mais divino?
Mentirias que queres para sempre a tua própria desgraça?

Vê bem, se disseres que sim, estarás apenas piorando a eternidade.


Demônio – Friedrich Wilhelm Nietzsche

6 comentários:

Espaço Feliz disse...

Choraria, pq se soubesse faria td diferente...como um criança que queria outra boneca.
A boneca não mudaria, e se eu não pudesse mudar minha vida, criaria uma vida pra ela...afinal, se acabaremos mentindo...escolheria a mentira das crianças q pelo menos eh mais divina.
Lindos, os seus sentidos.

anatcat disse...

come... delicadamente...

bj terno

fabio disse...

Belo texto! O conheço na voz do Abujamra, aquele provocador! Acho que clicamos os mesmos "sites", lemos os mesmos livros, gostamos de fotografia e cinema europeu...se eu acreditasse em vidas passadas diria que fomos dois muito íntimos. Mas para mim, o que interessa mesmo é que o somos agora! Adorei (gostaria tanto de poder escrever seu nome!), coisa!

Sentir disse...

Vanessa;
só mentiras sinceras me interessam. embora nem sempre seja possível esconder a verdadeiraverdade. se o livre-arbítrio existir quero ser prussiana e chorar abraçada aos animais que sofrem.lindaévocê.


Ana;
estou esperando a tal refeição, e desejo que depois se torne pratododia. te convido, ok? bjo.


Fábio querido;
tú bem sabes do meu novo hobbie de colecionar poemas falados e que Abujamra é meu ídolosonoro.
Me chame do que quiser, "coisa"! Menos do nome que meu pai me deu. As buscas do google me localizariam. :D
p.s.: claro que nosso (re)encontro estava marcado, temos que agradecer a Rimbaud - espero eu, pessoalmente.
p.p.s.: se ainda tivesse coração ele seria teu. mas, só te posso oferecer meu carinho e atenção.

Alien David Sousa disse...

Se não pudesse alterar nada! Ouch! Complicado. Estaria presa dentro de um filme de terror.

Beijinhos coisinha linha

Sentir disse...

Amada, a verdade tem disso. Nua, crua, pura e dura. :|